A Associação Comercial e Industrial da Marinha Grande (ACIMG) está bastante preocupada com o impacto da pandemia do novo coronavírus na economia local, sobretudo no que respeita aos pequenos negócios.

Ao JMG, fonte da associação revela que a grande maioria dos 425 associados encerrou portas, por estes dias, com exceção para alguns restaurantes que se adaptaram às regras impostas com a declaração do Estado de Emergência e estão a trabalhar em regime de take away e/ou com entregas ao domicílio.
A quebra total de faturação e a manutenção dos postos de trabalho são as principais preocupações dos associados que têm contactado a ACIMG e que procuram também saber mais detalhes sobre as medidas criadas pelo Governo para fazer face às dificuldades derivadas da pandemia de COVID-19.

A ACIMG teme que o impacto da pandemia venha a ser “devastador” e “catastrófico” para grande parte dos seus associados, tendo em conta que muitas empresas são familiares e/ou de pequena dimensão, com recursos escassos para fazer face aos compromissos numa altura em que, estando de portas fechadas não conseguem faturar.

A própria associação, que tem ao serviço quatro funcionários, poderá também atravessar “um mau bocado” face à previsível quebra de receitas em virtude da perda de associados.

A ACIMG encerrou portas ao público, devido à pandemia, mas o atendimento telefónico é assegurado (244 560 112), bem como a resposta aos emails (Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.), estando a associação “disponível” para ajudar os seus associados face a uma situação sem precedentes.

e-max.it: your social media marketing partner